18 de janeiro de 2017

Mães com pinta: Catarina Zimbarra

Catarina Zimbarra, para além de uma querida amiga, é uma fotografa excepcional, com vários trabalhos publicados e premiados nacional e internacionalmente. Capta os momentos, as emoções, a luz e os detalhes especiais como ninguém, é super criativa e apaixonada pelo belo, pelas artes. Mas claro, a maior de todas as paixões é a sua filha Maria.
Uma entrevista inspiradora de uma mulher e mãe cheia de pinta!


Nome da filha e idade:
Maria, 5 anos. A dias de fazer 6. 

Como foi a escolha do nome?
Se fosse rapaz eu gostaria que tivesse o nome do meu avô e por isso tive que ceder caso fosse rapariga, aí seria o pai a decidir. Ele decidiu bem e apesar de Maria não estar nos meus "planos", hoje sei que ela não poderia ter outro nome. 

Cesariana ou parto normal?
Parto normal com 10 minutos de duração. E 'voilá'. Parece incrível o quão fácil foi. 
Ela estava cá fora louca para abraçar o mundo. Uma experiencia incrível.

Roupa de gravida, sim ou não?
Nunca alterei nada no meu estilo pessoal durante a gravidez. Apenas engordei 9Kgs e por essa razão não há muita necessidade de roupa especifica a não ser uns jeans adequados. Adorei estar grávida e mais ainda conseguir manter o estilo e individualidade que considero tão importante para uma mulher. E saltos... uma ou outra vez. 

O que achaste mais complicado no pós–parto?
Com um parto tão fácil como o meu achei que o pós parto seria melhor ainda. 
Comecei logo a fazer uma vida normal e por essa razão uns pontos que levei infectaram e não foi nada fácil por uns dias. Uma semana complicada sem dormir e uma bebé louca a mamar como se não houvesse amanhã. Felizmente tudo passa e ficam as memórias de um amor que cura tudo.

Como é que imaginavas a tua vida familiar?
Sempre imaginei que a minha vida não se alteraria muito após ser mãe. Na verdade altera-se, mas para melhor. Em vez de passear a dois, passeamos a 3, sempre divertidos e a fazer quase tudo o que fazíamos. Nunca deixei de sair, passear e continuámos a ter férias a dois, jantares, saídas. Não deixei de ter a minha privacidade, espaço, o meu tempo para ser mulher e profissional. Acho que só assim me sentiria completa para ser melhor mãe.

Fotografas muitas famílias, também tens muitas fotografias da tua?
Não tiro muitas fotografias com a minha câmara à Maria. A minha câmara é o meu trabalho. Prefiro aproveitar cada minuto com ela sem uma objectiva presente. Prefiro ter a espontaneidade dos nossos momentos e não espreitar a vida constantemente por trás de um vidro. É o meu iPhone que faz o registo diário dos nossos momentos felizes. No instagram vou libertando, de vez em quando, essa aventura!


A tua forma de trabalhar alterou-se quando foste mãe?
Não. A resposta é muito fácil. Mas agora já tenho uma Maria que me critica o trabalho e isso seguramente irá alterar a minha visão futura :)

Como é que geres o tempo para ti?
Não é muito fácil gerir o meu tempo pois entre tanto trabalho e família pouco resta. Mas as noites, após deitar a Maria, são o meu refúgio. Não vejo televisão. Um copo de vinho, música, conversa e um bom livro são as minhas "fraquezas".

Colégio antes dos 3 anos, sim ou não?
A Maria foi cedo para o colégio. Eu e o pai precisávamos de trabalhar e após termos ficado os dois em casa durante 5 meses chegou a hora de a levar. Foram 5 meses de aventuras, mas não podia ficar mais tempo sem trabalhar. No primeiro ano ia apenas umas horas e depois foi ficando. Ela sempre adorou e eu sempre me senti feliz e segura.

Tens, portanto, uma boa relação com todo o processo da maternidade.
Ser mãe é algo que não explicamos e não aprendemos. Somos todos os dias talvez uma mãe diferente.
Agora vivo mais o presente e procuro nos momentos a felicidade sem buscar o futuro.

Define o teu estilo pessoal.
Tenho um estilo prático e eclético. Toda a vida adorei misturar o 'classy' com o 'rock', uma peça clássica com uns tenis desportivos, o minimalista com uma peça mais excêntrica. Vestidos no verão e jeans no inverno são um must para mim. Mas a minha perdição são mesmo a lingerie e as carteiras! Uma marca que uso há anos e anos é a COS. Ia a Paris e Londres só a pensar nas peças delicadas, originais e de qualidade que conseguiam oferecer. E as carteiras Marc Jacobs, que já perdi a conta.

E o estilo da Maria? É uma extensão do teu?
Julgo que o estilo da Maria se adequa ao meu. Ela tem uma personalidade forte e é sem dúvida uma criativa. Não a consigo imaginar com um estilo clássico ou banal. Curiosamente quando ela escolhe, escolhe bem mesmo quando vai buscar as saias pink com brilhantes. Diversão não nos falta! Não tenho marcas de eleição para a Maria e gosto de misturar estilos e texturas.


Descreve um dia da vossa rotina. 
Acordo sempre eu primeiro, pois sei que ela adora dormir. Tomamos o pequeno almoço sempre sentadas à mesa com uma mesa bem posta como se tivessemos todo o tempo do mundo. Isto é uma característica minha que sempre preservei e não prescindo. Levo-a à escola sempre com a música bem alta no carro e sempre a dançar. Outro must. Após o meu dia de trabalho vou busca-la à escola e se for verão vamos até jardim, lanchar ou passear, e no inverno voltamos para casa para os mimos de fim de tarde. Jantamos a ouvir musica (sempre) e antes de ir dormir ou vimos uns desenhos animados ou brincamos ao faz de conta ou concursos de danças. E sempre antes de dormir fazemos umas perguntas base sobre sorrisos e sonhos. Sempre as mesmas perguntas e sempre novas respostas.

Qual o programa 'mãe e filha' preferido?
Não tenho um programa preferido. Gosto de aproveitar momentos. Cria-los e inventá-los. Momentos como acordar com ela na cama e brincar aos desmaios e à jangada no mal alto. Brincadeiras de mãe e filhas malucas. Adoro dançar com ela. Talvez seja dos meus momentos favoritos. Criamos a nossa "disco" em casa ou no carro e dançamos até à exaustão. Com tudo incluido: luzes, escuridão e som no máximo! Algo que também fazemos é ir até ao centro de Lisboa explorar a cidade. Brincamos ao jogo da memória visual com tudo o que vimos e comemos e cheiramos. Sempre com vistas sobre Lisboa que ambas adoramos.


O que é que te inspira?
A felicidade que me rodeia, as cores dos dias, o silencio do mar, uma musica solta...

Qual a importância das artes na infância da tua filha? 
Na minha casa estamos sempre em constante contacto com as artes. A música, a pintura, a fotografia, sempre presentes. Os estímulos são naturais e a vontade de os experienciar também. Adoro a interpretação e a emoção que nos cria e para a Maria julgo ser algo natural nela. Gosto de lhe dar a conhecer vários estilos musicais, obras de arte e história. Os ateliers de artes plásticas têm sido uma constante na vida da Maria e as visitas a Museus e concertos de musica clássica são para ela um fascínio. 

A arte e a criatividade estiveram sempre presentes na tua vida?
Vivi sempre ligada às artes e a criatividade está presente em cada passo que dou. Às vezes é desconcertante e cansantivo. Vivo a correr, ou melhor, o meu cérebro vive a correr com mil ideias e parece que o tempo não chega. A arte oferece-me a paz que a criatividade não consegue. Uma complicação eu sei... :)

Que aspectos foram determinantes na escolha da escola da Maria?
A minha sogra é Directora pedagógica do colégio da Maria, e por essa razão não havia qualquer dúvida. A escola é maravilhosa e ter a melhor avó como directora não se podia pedir mais.

És uma mãe muito diferente da tua ou reconheces a tua mãe nas tuas palavras?
Somos talvez pessoas diferentes, mas como mães temos os mesmos valores e visão educacional.
Temos instintos idênticos e cada vez mais tenho orgulho na mãe que tenho.
A Maria é uma neta de muita sorte.

Em que valores assentas a educação da tua filha?
Acima de tudo boas maneiras e generosidade. 
A atenção para com o próximo e o respeito são uma prioridade.

O que que a mãe Catarina de hoje diria à mãe Catarina de ontem?
Que seja mais paciente e seja menos exigente. E menos exigente consigo... Não existem super mulheres nem super mães.

Gostavas de ter mais filhos?
A Maria preenche-me e dá-me todo o amor que preciso no presente.

Planos para o futuro?
Quem seria eu sem planos, ideias e visões?
Planos de viagens em trabalho, sem dúvida, e um novo espaço cheio de critividade e dinâmica.


Obrigada Catarina! ♥ 
Sigam o instagram da Catarina aqui

Instagram @Feferreiravelez

3 comentários:

  1. Uma inspiração esta paixão e atenção às artes e à filha. Gostei muito de ler.

    ResponderEliminar
  2. Adorei a partilha! Mulheres modernas dão sempre fantásticos testemunhos e enchem-nos de inspiração :)

    http://www.trendylisbon.com/

    ResponderEliminar