26 de setembro de 2016

Métodos contracetivos

Hoje é o dia mundial Mundial da Contraceção.
Métodos contracetivos: Assunto sério e tema sensível.
A partir de uma certa idade cada uma sabe de si, mas este é um tema que nos levanta sempre 
algumas dúvidas na hora de escolher. 
Pílula, implante, anel, dipositivo intra-uterino... São todos métodos muito eficazes, reversíveis e muitos deles podem ser utilizados por longa duração, mas qual o mais indicado para nós? 
Sabe-se que a maioria das mulheres em Portugal tomam a pílula, mas sabe-se também que nem sempre esse é o método contracetivo mais adequado ao seu estilo de vida e por vezes por desconhecimento de outros métodos disponíveis. 
Por exemplo, o adesivo transdérmico (não conhecia!), um novo método contracetivo que é um adesivo fino, transparente, redondo, com menos dose hormonal comparado a pílula. 
As hormonas são absorvidas através da pele para a corrente sanguínea com 99% de eficácia,
 a mesma da pílula, e é livre de lactose. 
É semanal, por isso mais cómodo e fácil de usar. E não é invasivo comparando com DIU ou anel. 
Uma dúvida que tinha é se podemos usar na piscina/praia ou no banho, pelo risco de descolagem.
Mas, ao que me informou o meu médico foi testado e "apresentou robustez".
Neste site contraceção.pt - um site especializado em métodos contraceptivos -
 encontram mais informação e podem tirar algumas das vossas dúvidas. 
Claro que o ideal é sempre aconselharmo-nos com o nosso médico!

Desculpem hoje passar para este tema, mas acho importante partilhar esta mensagem.

*Post escrito no âmbito da campanha de esclarecimento para os métodos contraceptivos promovida
pela Sociedade Portuguesa da Contracepção.

8 comentários:

  1. Eu uso o adesivo e em relação a contacto com água/praia digamos que não é assim tão robusto. Nas férias para não ficar tão visível no braço optei por colocá-lo no rabo e ao fim de 2/3dias de água descolou....
    É um método excelente sem dúvida, até agora não falhou ;) mas mais cómodo no inverno.

    Ana

    ResponderEliminar
  2. Acho ótimo focar este assunto Fernanda e não podia ser mais oportuno para mim, vou já perguntar ao meu G. sobre este adesivo.

    ResponderEliminar
  3. Acho importante focar estes assuntos.
    Relativamente ao adesivo já experimentei e confesso que não é tão robusto como dizem, para além de não ser muito prático no verão (pois o quadradrinho autocolante ainda é grandote para esconder nos calções de banho). No que se refere à eficácia, quando o usei nunca falhou.

    ResponderEliminar
  4. Eu uso o implante. Já tenho duas filhas e não tenciono ir ao terceiro. Como me esqueço de tomar a pílula isto é óptimo. Coloca se no braço e durante 3 anos não me preocupo.

    ResponderEliminar
  5. Depois de tantos casos de trombose com pílulas, eu estou com medo... Estou pensando em começar a usar injeção. Você conhece o Cyclofemina? quero saber se ele engorda e se melhora as espinhas. Tentei achar na bula que encontrei nesse site http://cyclofemina.com.br/ mas quero mais informações...

    ResponderEliminar
  6. Sempre me "recusei" a tomar a pílula, talvez por conhecer de perto os efeitos secundários que pode causar. Sim, é eficaz, mas não deixa de ser um medicamento que, como todos os outros, tem consequências desnecessárias e por vezes perigosas no organismo. O adesivo conheço e acredito que não seja tão prejudicial como a pílula, ainda assim, o processo é semelhante e continuo a achar desnecessário alterar os níveis hormonais normais com o objectivo de não engravidar, quando existem métodos que em nada interferem com o normal funcionamento do organismo. Quanto a outros métodos mais invasivos, confesso não ter "coragem" de os usar. Por isso, aqui só usamos mesmo preservativo e, sim, eu sei que pode não ser tão eficaz e que é aconselhável conjugar com a pílula, por exemplo, mas, se usado correctamente tem também uma taxa de fiabilidade muito elevada. Nunca tive problemas com isso e, de entre as pessoas que conheço que também optam pela mesma solução, também ninguém teve nenhum "acidente". Portanto, pelo menos por enquanto, não tenho qualquer intenção de adoptar outro método.

    ResponderEliminar
  7. Faltou dizer que era post patrocínio Merck

    ResponderEliminar
  8. Fernanda , devia esclarecer que o adesivo é igual à pílula, ou seja é um método hormonal combinado, só que em vez de ser tomada, é absorvido pela pele. Beijinhos

    ResponderEliminar