8 de abril de 2015

Viajar com crianças - II

A decisão de viajar com crianças depende sobretudo da família - os pais é que sabem o que é melhor para os filhos - e claro, das crianças -  da idade, se comem ou se já podem comer de tudo, se se adaptam bem, se dormem bem, enfim, são imensos os fatores a considerar. 
"À última hora" decidimos ir passar estas férias da Páscoa a Marrocos, a Marraquexe com uma escapadinha a Essaouira. 
A mana Di estava lá e de seguida parte para a Escócia para um novo projecto de engenharia e assim decidimos passar uma Páscoa diferente, mas totalmente inspiradora e que vai ficar na memória das coisas muito boas!
Decidimos também que a Minho ficava com a avó, pelo destino em si, porque não íamos ficar sempre no mesmo sitio, nem no mesmo hotel, a viagem, o calor, os passeios na medina... o desgaste que isso necessariamente implica para uma bebé de 8 meses... preferimos não arriscar. As saudades custam, mas falávamos todos os dias por skype e ver que ela estava tão bem e feliz com a avó ajuda muito.
A C delirou assim que soube que ia voltar a andar de avião! Já não via a hora de levantar voo e nem ter de se levantar as 5:30 da manhã para ir para o aeroporto lhe abalou o humor. A aterragem já nem percebeu, porque ia a dormir, mas a felicidade quando chegou a Marraquexe foi total. Ida e volta (1h de voo) correram lindamente. Mas não pensem que as birras também não apareceram, aconteceram algumas vezes durante as férias, mas sempre por razões... cansaço, sono ou fome... nos horários e não só, em viagem, a regra é descomplicar.
Mas o saldo é tão positivo que cada vez mais acredito que mesmo com 3 anos (e 2 anos e meio - 1ª viagem de avião da C) eles já se divertem e aproveitam à grande!

Não esquecer:
- Levar carrinho bengala
- O boneco preferido para dormir
- Roupa confortável para a viagem
-  Na mochila:
- kit de chá da minnie para brincar (é bom porque é leve)
- Livro e lápis de pintar (mas também dão no avião) 
- Leite com chocolate e crackers com arroz tufado (as preferidas)

Como os hotéis têm piscina, não esquecer:
Braçadeiras
Fatos de banho
Chapéu
Protector solar

(clique na imagem para aumentar)
C look:
Casaco - Piupiuchick
T-shirt - Zippy
Jardineiras - Zara Kids
Lonas - Pé de Pato
Mochila - Cath Kidston

Mais uma viagem que não podia ter corrido melhor.  A segunda viagem de avião da C. 
A primeira aqui, ela com 2 anos e meio e eu grávida da Carminho.
Mais uma experiência a três que iremos repetir um dia a quatro!

INSTAGRAM @feferreiravelez

26 comentários:

  1. Eu tenho feito viagens de avião para Angola sozinha com os meus dois filhos: ela de 3 anos e ele com 1. Faço-o dd que ele tem 4 meses. Não é de todo impossível. Acrescento à lista da Fernanda o marsupial porque dá jeito ela ir no carrinho e ele no marsupial e ainda assim tenho as maos "livres" e benuron porque quando eles são muito pequenos têm dores de ouvidos no avião. De resto desde que os pais, ou no meu caso eu, estejamos descontraídos tudo corre bem

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A opção não tem que ver com andar de avião, tem a ver com o tipo de viagem e o destino. bis

      Eliminar
    2. Não me parece que seja os pais estarem descontraídos que faz as viagens correrem bem. O que faz é, sobretudo, o tipo de crianças. Se forem bebés chorões, que são capazes de estar horas a chorar gritado sem os conseguirmos acalmar é muito diferente de se forem uns bebés pachá. Não concordo em absoluto com esta ideia de generalizar as crianças, há miúdos completamente diferentes. Qual é a dificuldade de aguentar durante horas um bebé sossegado, que fica calado a olhar para o ar e adormece sozinho e se entretém duas horas com um brinquedo?
      E em relação a esta viagem, concordo com a opção feita, sobretudo pelo destino em si, sistema de saúde, viroses diferentes, além das restantes justificações.

      Eliminar
    3. Sim, eu também concordo que teria sido cansativo para a bebé e ela nem iria retirar nada da viagem. Nem sequer me passou pela cabeça questionar a decisão da Fernanda. Quis apenas deixar mais um testemunho, no meu caso particular que viajo com os dois para ver o pai. Falei só da questão do avião porque é a parte em que estou sozinha. Em relação ao segundo comentário, os meus filhos são bastante activos, a mais velha já praticamente não faz a sesta, no entanto nestas viagens de mais de 7 horas tenho tido sempre a sorte (e não doi só uma ou duas viagens) deles virem 90% do tempo a dormir. A descontração dos pais ajuda sim, nas viagens e em tudo!

      Eliminar
    4. Claro que ser descontraído ajuda mas como foi dito concordo que tudo tem a ver com o tipo de bebé. Há bebés mais Sensíveis à mudanças. Fui para os Açores quando a minha filha tinha 4 meses só a fazer peito e tinha algum receio porque é precisamente muito sensível a mudanças, talvez em parte devido à mim. Felizmente foi surpreendente e portou-se lindamente. Mas é muito diferente a logística com uma bebé de 8 meses que tem horários. Ainda para mais num destino em que o objectivo é aproveitar para conhecer o máximo possível sem rotinas e em que o improviso na alimentação não é simples. Claro que custa deixá-los mas são opções. E uma mãe feliz faz um bebé feliz. E parece-me que é o caso.

      Eliminar
  2. Acho que quando são férias com uma duração de viagem não muito longa e que as férias sejam apenas descanso total num resort com praia e piscina, deve sim levar os miúdos, porque só lhes fazem bem e não é tão maçante nem para eles nem para as crianças.
    Agora quando são férias em cidade, em conhecer, não dá para levar crianças. Não há horários, sítios certos, anda-se muito a pé ou de metro.
    Mas claro só os pais é que sabem o que é o melhor. que é melhor para uns, não é para outros.

    ResponderEliminar
  3. Fernanda,
    Já experimentou comprar o flutuador (especie de cinta) para a Carlota? Acho que é muito melhor para as crianças estarem à vontade.
    A Carlota já tem 3 e meio, não é?

    ResponderEliminar
  4. Fernanda, eu estou precisamente com essa dúvida presente, levar ou não levar a M. (com 2 anos e meio) para o México. Se fosse fazer apenas praia e vida de resort, tipo Republica Dominicana, não teria dúvidas em levá-la. Mas como quero fazer vários passeios culturais tenho algum receio... e muitas dúvidas. Será que ela se adapta à comida? E se adoece? E se ela se der mal com o calor? E como será a viagem de tantas horas?
    Acho que vou mesmo optar por deixá-la com os avós, fico mais descansada mas cheia de saudades ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não só pelo objetivo da viagem como sobretudo por eventuais doenças e surtos diferentes daqueles a que as crianças estão expostas em Portugal, eu optaria por deixar com avós.

      Eliminar
    2. Recomendo a leitura do blog "Drieverywhere", ela viaja para todo o lado com a filha de 2 anos desde que nasceu. Se não vai fazer passeios se dias inteiros debaixo de sol, eu levaria a criança, se quiser aproveitar mais para sair para jantar e assim, optaria por deixar em casa. Mas é uma questão de propósito da viagem. Pessoalmente eu levaria uma criança de 2,5 para o México, mas com seguro de saúde.

      Eliminar
    3. Olá, eu levei o meu filho de 8 anos e a minha bebé de 11 meses na viagem ao México...levei comida para ela, mas nem necessitaria (exceto sopa) ...têm imensa variedade de comida que dá perfeitamente para crianças pequenas (grelhados, cozidos, legumes, frutas..a minha filhota adorou Guacamole!!!!...) relativamente a doenças, quem ficou doente foi o meu marido :P e teve um tratamento 6*, é verdade que levámos um seguro de saúde extra especialmente por causa das crianças, mas o médico que o atendeu foi excepcional! A viagem de avião é "dolorosa" até para adultos, mas a minha pequena é muito tranquila e correu super bem...se fosse o meu mais velho com a mesma idade, nunca teria feito uma viagem destas com ele...portanto, concordo que depende principalmente do "tipo de criança" e não da tranquilidade dos pais...ela sempre dormiu sestas grandes, come bem e tudo e é pouco "chorona"...totalmente ao contrário do mano mais velho que era terrível...nós temos sempre viajado com os nossos filhos, optando por destinos em que considerando prós e contras achamos que os podemos levar :) mas cada um fará como achar melhor...não há receitas perfeitas nem igualmente certas para toda a gente, portanto...há que fazer opções! Quer vá com filhos ou sem, divirta-se muito!

      Eliminar
  5. Leite com chocolate e bolachas não são uma boa opção.
    http://visao.sapo.pt/o-acucar-e-o-maior-veneno-que-damos-as-criancas=f815340

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que tem a ver com isso? A Fernanda parece-lhe uma pessoa pouco informada? Get a life

      Eliminar
    2. O Anónimo das 14:55h descobriu a pólvora, não? Deixe cada pessoa fazer as suas escolhas, em consciência e liberdade.

      Eliminar
    3. Obrigada anônimo das 14:55, não sei o que seria do mundo sem si... Fernanda para a próxima leve um termo com um peixinho cozido com legumes biológicos ok!

      Eliminar
    4. o que vale é que as pessoas são tão ignorantes que só se apercebem das coisas quando dão na SIC ou TVI. Há quantos anos o senhor(a) come bolachas e bebe leitinho com chocolate? ou melhor, há quantos anos come bananas e pêssegos? A frutose e o açúcar fizeram-lhe mal? Sabe que também não se deve beber leite da vaca porque é, na maior parte, composto por hormonas e gordura? secalhar não sabia... já agora... já viu o documentário "cowspiracy"...? Quando é que as pessoas se apercebem que podemos consumir de tudo, desde que não seja em exagero? Extremistas...

      Eliminar
  6. Penso, que os Pais é que sabem o melhor para os filhos, esta decisão tem a ver com muitos factores da vida familiar que são muito particulares em relação a cada família, o que é melhor para mim, pode não ser o melhor para si, e como ninguém é dono da verdade absoluta o melhor é aceitar as coisas como elas são, a Fernanda decidiu ir só com uma filha e deixar a outra filha com os avós que mal tem? É uma opção que fez não vale a pena opinar sobre as decisões dos outros, até porque as consequências dessas decisões não nos afectam.

    ResponderEliminar
  7. Voce e simplesmente fantastica Fernanda!!
    Alias Wonderwoman ;-)
    Organizou o Mercadito (mega organizacao) e logo depois organizou escapadela a Marraquexe...chegou e aqui esta a escrever-nos...Bravissimo!!
    Quanto ao Sr. Doutor/ ou Doutora Sabe Tudo.
    (Anonimo das 14:55) PLEASE ocupesse da sua vida, ninguem lhe pediu conselhos, carranba que gentinha...
    Cpts
    Anita

    ResponderEliminar
  8. Olá Fernanda, acho estes seus posts sempre muito bons. Além de dar dicas úteis para as mães que a seguem, mostra que é possível fazer tudo com as crianças e isso foi algo que eu sempre fiz. Tenho 3 filhas e sempre viajei com elas. A mais nova andou de avião com 6 meses, mas como é obvio, optamos por umas férias calmas, num resort onde fosse fácil arranjar tudo o que ra necessário (nem sequer tive de me preocupar com a sopa pois todos os dias ao meio dia - ou um pouco antes se necessário, era a primeira a entrar no restaurante, para lhe dar a sopa, à qual, após me perguntarem, juntavam sempre um pouco de frango). As primeiras férias a 5 viajamos com a mais nova com 8 meses, a do meio com 1 ano e 9 meses e a mais velha com 4 anos. Correu lindamente e nunca mais paramos, apesar de muita gente dizer que éramos loucos!! Hoje viajamos a 5, sem problemas. Concordo quando diz que o ideal é descomplicar. Cá em casa temos bastante cuidado com a alimentação todo o ano, por isso, hoje em dia, se durante uma semana comerem alternativas menos saudáveis e que não são as ideais, considero que não vem daí mal ao mundo. Afinal férias são férias e se os pais estiverem relaxados e felizes todos vão acabar por se divertir mais. Outra regra que usamos de forma inconsciente é adaptarmos as férias aos ritmos e necessidades das crianças (especialmente quando são pequenas). Lembro-me muito bem de dormirmos os 5 a sesta nessas primeiras férias com as 3 ainda pequeninas... e sabia tão bem! :)
    Beijinhos e continue a fazer a sua família feliz que isso é que é o mais importante.

    ResponderEliminar
  9. O meu A. já viajou 3 vezes e meia...lol! A primeira tinha quatro meses de gestação :) Foi a viagem da despedida... última viagem a dois (8horas de voo rumo a Punta Cana). O
    médico autorizou sem complicar e fomos.. . confesso que estava com alguns receios
    mas correu bem... e acabei por reparar que
    não era a única grávida de férias por lá. .. nem a única portuguesa. No ano seguinte já
    o A. Tinha 9meses e lá fomos nós outra vez. Óbvio que com autorização da pediatra e
    ainda com uma cartinha que lhe pedi (dizia que tinha de comer de 2 em 2 horas comida especial )para mostrar no detector de metais
    para me deixarem passar com a sopinha
    dele... sim porque comida de avião ninguém
    merece :) apenas me disseram para provar a sopa e lá passei...a primeira dose ainda comeu... a segunda, mesmo em termo acabou por azedar. ..não sei se pela altitude ou temperatura de avião. .. como tinha deixado de mamar... também levava cerelac e leite em pó. No porão levava ainda um saco térmico tamanho XXL com bledinas e outros do género em quantidade industrial. .. comida para todos os dias. Nunca antes
    tinha comido nada daquilo. Mas ainda bem
    que levei porque lá não comia mesmo
    nada...a não ser bananas e iogurtes.
    Cerelac pequeno almoço
    almoço e jantar variedades bledina
    lanche papa de fruta com iogurtes e bolacha
    leite para durante a noite
    fraldas
    medicamentos (benuron, Brufen, actifed,
    ultra levur,)
    Repelente
    protector solar
    cremes after sun
    cremes queimaduras solares (não foi
    preciso)
    A LISTA é grande mas tem de ser... felizmente nunca usamos qualquer medicamento mas mais vale prevenir...
    ah...ainda falta o termómetro. .. Os artigos de higiene diária normais do bebé
    o carrinho bengala
    o boneco
    brinquedos. ..etc
    o pior é mesmo a viagem...
    8 horas ao colo e com birras de não querer por cinto...e se facilitamos lá vem a hospedeira chamar a atenção a dizer não quer que o bebé bata com a cabeça no tecto...
    no ano seguinte fomos novamente... tinha o A.21 meses...
    sim somos doidos...
    aqui acrescentamos braçadeiras e lycra para sol porque já era difícil tira-lo da piscina e eu e ele parecemos lulas de tão branquinhos que somos. Há piores... mas somos branquinhos, loirinhos...Há que ter muito cuidado!
    Desta vez no avião já foi mais calmo para lá. .. com 4 bancos para 3 havia espaço para se deitar e dormir... Para cá foi pior... engano nos lugares mais de 3 pessoas para o mesmo lugar. ... mais uma vez não queria cinto até ser convencido que íamos a janela. .. não fosse vir outra hospedeira dizer que os bebés não podem viajar ao colo naqueles lugares porque se há acidente são os primeiros a saltar ( como se alguém fosse sobreviver se houvesse um acidente, mas são regras. ..Eu sei, triste é que uma nos mande lá sentar e outra nos mande sair...) e desta vez penso que todo o avião ouviu os gritos dele... cansaço. ..regresso de férias. .. sabem como é. ..
    mas não ficamos por aqui... lol...
    No ano a seguir não fomos... mas fomos no outro.... tinha ele menos de 4 anos... e agora sim.... já se divertiu a valer e a viagem também correu melhor para cá não dormiu nem deixou dormir... excitado ou a ficar doente porque no dia seguinte ficou com febres altas e acabou por vomitar... foi um susto não diagnosticado mas já estávamos em terra firme e num país civilizado que é o nosso. Porque nós queixamos-nos mas estamos aqui tão bem...
    Resumo: tirem as vossas conclusões. ..
    Nos gostamos de ir a Punta cana... Estas viagens são todas para a nossa praia, playa bavaro. Também gostámos das diferentes experiências... todos os anos é diferente porque o nosso menino está a crescer... mas a partir de agora é mais tranquilo e já não precisamos da bengala...nem fraldas e muito menos bledinas! Apesar de tudo voltava a fazer tudo igual :)
    Mas as crianças são todas diferentes. .. O meu da sempre trabalho...mas é a minha razão de viver!


    ResponderEliminar
  10. Acho cá uma graça às bajuladoras!
    As bajuladoras é que não têm uma vida, estão ocupadas a ser os "yes man" das bloguers.
    E não sou o anónimo que ia sendo chacinado.
    Já ouviram falar em liberdade de pensamento?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E em que grupo é que entra? Naquele que não têm opinião e só gosta de dizer mal? Liberdade de pensamento no seu conceito é só para quem esta em desacordo com as bloguers porque quem concorda não tem liberdade de pensamento, é simplesmente bajulador. Parabéns oh prémio Nobel!

      Eliminar
  11. Sinceramente aquilo que me preocupa mesmo nem é ter uma opinião diferente da maioria. Mas antes pensar que vão ser precisos muitos anos para as pessoas agirem de uma forma diferente em relação á alimentação, em especial ao açuucar.
    Mal comparado penso que se fosse um post com alguém a fumar aí já haveria imensa gente a apontar o dedo.
    Gosto tanto ou mais da Fernanda que voces, senão não perdia tempo a ler o blogue.
    Só quis deixar um conselho, mais nada.
    Acredito que quem se preocupa tanto com as crianças também pense de uma forma mais á frente em relação aos doces.

    Anónimo das 14.55

    ResponderEliminar
  12. Para uma férias tranquilas com crianças, fica aqui a minha sugestão de alojamento: a Quinta Dom José, uma Quinta de estilo tradicional do Minho, é uma unidade de Turismo em Espaço Rural (agroturismo), é o seu Hotel no campo para férias, escapadinhas e fins de semana no concelho de Vila Verde, entre Braga e Ponte de Lima. www.quintadomjose.com

    ResponderEliminar