18 de agosto de 2014

Passar de uma para duas filhas...

3 semanas de baby Carminho! Os dias passaram a correr.
Se dissesse que está a ser tudo fácil estava a mentir. Welcome to the real world! 
Têm sido dias de muitas emoções, adaptações, novas rotinas e de muito cansaço! Porque passar de uma para duas filhas afinal faz muita diferença.
A baby C* continua uma bebé fácil, come e dorme, como deve ser um recém-nascido. Mas as cólicas já apareceram. Ultimamente as noites passam-se de 3 em 3 horas, com algum choro de vez em quando, as típicas dúvidas sobre o que terá, e que são cólicas que só se resolvem com massagens e colo.
Acho que a C não tem ciúmes da irmã, pelo contrário, está encantada. Apaixonou-se por ela desde o dia em que a viu na maternidade e os olhos brilharam de felicidade! 
A baby Carminho é a paixão da irmã, se ela já adorava - e adora - os irmãos mais velhos, agora ter em casa uma mana bebé faz as suas delícias. Acredito que esta bebé vai ter na Carlota uma grande protetora e uma amiga para o resto da vida. 
"Oh querida...", "linda, linda...", "Eu adoro a ti"... são só algumas das palavras enternecedoras da C para a sua irmã querida. Tem por ela um amor e uma adoração difíceis de descrever. Impossível não ficar emocionada a ver as duas. 
Mas não é incomum estes dias a C chamar a atenção com uma birra, sem explicação! 
Ou quando, no mais perfeito entusiasmo, aperta, puxa braços e pernas, passa das festinhas às pancadas e quer dar beijinhos à mana bebé como se fosse a sua boneca! E é quase impossível, se estou sozinha, controlar estes ímpetos, tal é o impulso e a força, que ainda não controla. Em suma, necessidade de atenção redobrada! 
Os minutos de serenidade são poucos e preciosos, muitas asneiras e alguns gritos, porque nem sempre obedece à primeira, obriga-nos a falar mais alto e às vezes leva-nos ao limite. 
Claro que apesar das coisas menos fáceis - há MUITAS MAIS que tornam e fazem deste momento inesquecível, maravilhoso! Dias felizes, que nos deixam muito gratos pela família que temos.
Porque há momentos tão bons que compensam tudo. As manhãs em que ficamos os quatro num namoro pegado. Quando saímos, tomamos o pequeno almoço pelo bairro, almoçamos em família com os avós e os irmãos mais velhos, passeamos no jardim e pouco a pouco regressamos às rotinas que tanta falta nos fazem.
Aventurámo-nos nos passeios, a primeira vez, quando a baby C* fez 1 semana e a partir daí fomos repetindo. Cada mãe terá a sua opinião, mas eu acho que o sol, as nossas temperaturas amenas e o ar livre só trazem benefícios aos bebés. 
Quando saímos da maternidade assumimos o desafio de vir para casa os 4, sem qualquer tipo de ajudas, mas às tantas percebi que podia estar a prejudicar a Carlota e que, por eu ter sido mãe, ela não podia estar simplesmente fechada em casa, em pleno verão, sem aproveitar a praia que é tão necessária porque ajuda a prevenir as constipações no Inverno, ainda mais agora que vai para o colégio. 
Por isso decidi descomplicar e com 10 dias deixei a Carminho entregue aos cuidados da minha mãe e fomos por umas horas à praia. A Carlota adorou, claro! E a mim ajudou-me a espantar os baby blues e a sentir como é bom ser de novo mãe e Mulher. Porque estar fechada em casa no verão não é nada fácil, nem bom! Não nos podemos esquecer de nós, nem que temos outros filhos e marido. Mães felizes igual a filhos (e maridos) felizes! 
Obrigada mãe, manos D e M!
Estes dias apenas consigo sentir-me grata pelo tanto que temos.
Estamos ansiosos pela nossa primeira semana de férias a 4, quando a baby C* faz 1 mês! Jardim, sol, piscina para a C e passeios. Uma miúda feliz a brincar, a correr e a nadar e uma bebé calma a passear. Já falta pouco!

A verdade é que tudo o que esta fase tem de difícil tem de viciante! Não há nada de racional nisto e acho mesmo que deve ser um dos grandes mistérios do cérebro feminino, porque depois vai passar este período de readaptação, de novidade, de privação do sono e tudo o que nos lembramos é do cheirinho bom, da emoção, da delícia que é ter um ter um bebé tão pequenino em casa. Mais tarde ainda nos vamos lembrar destas "dificuldades", mas a verdade é que o cérebro rapidamente vai apagar todos os momentos difíceis e deixar só os bons e a saudade.


Ao ritmo dos dias...
Fotos daqui

1 - Touca Ma Petite Princesse, Camisa de golas Mariazinha, Tapa-fraldas Maria Design Kids
2 - Livro "São todos meus preferidos" 
3 - Kit completo Maria Gorda, Coelho roca Maileg
5 - Forra do ovo Blu Home, Mala das fraldas Pasito a Pasito
6 - Espreguiçadeira Chicco, Touca Dot, Fofo Maria Bianca

Passeios pelo bairro, praia, gelados, campo, pinturas...

Mom's look:
1 - Vestido preto H&M nova coleção
2 - Túnica branca Vintage Bazaar nova coleção, Calções H&M (antigos)
3 - Túnica branca e Calções pretos Zara (antigos)
C:
1 e 2 - Vestidos Antimilk (saldos)
3 - Camisa de noite Ba store e Babygrow Maria Bianca

*
 E com vocês, como foi a adaptação?
(E o tempo que demorei a escrever este post...?! )

O Blog da Carlota também está no FACEBOOK e INSTAGRAM


24 comentários:

  1. Pois comigo também foi um pouco assim. Também tive o 2º filho no verão e das 2 gravidezes o "baby blues" prolongou-se mais que 2 semanas, pelo que ainda me lembro de estar um bocado ansiosa e a tentar dar atenção à mais velha para que não sentisse a mãe mais distante. Não tive ajudas, a não ser do marido que chegava ao fim do dia, por isso não foi fácil. Lemro-me das angústias que uma mãe recente sente e da sensação do meu mundo estar virado do avesso, mas passaria por tudo outra vez, valeu tanto a pena. Para mim, passando as primeiras 5, 6 semanas, a vida entra novamente no trilho certo e as dúvidas, ansiedades e medos vão embora. Felicidades família linda!

    ResponderEliminar
  2. Boa noite Fernanda
    Parabéns pela bebé, muitas felicidades!
    Adorei a almofada e gostaria de saber onde posso adquirir uma adaptada ao meu babyboy Daniel!
    Obrigada e beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A Pipoca Catita faz almofadas em forma de letra.

      Eliminar
  3. Parabéns pela bebé , as fotos são lindas :) a Carlota agora foi promovida a irmã mais velha ^.^

    ResponderEliminar
  4. Olá Fernanda mais uma vez, só tenho a dizer que admiro a tua sinceridade e honestidade e identifico-me com algumas dificuldades pelas quais estás a passar. Pena que algumas mães escondam a parte negra e pintem tudo de cor-de-rosa, e não admitam que a realidade de dois "bebés" é mesmo esta para uma Mãe, Mulher e Esposa !

    ResponderEliminar
  5. A Fernanda parece- me ser uma mãe maravilhosa. o comportamento da Carlota é normalíssimo, tanto adora a irmã como tem ciumes. Tem uma família linda!

    ResponderEliminar
  6. Olá Fernanda! Antes de mais quero felicita-la pela família linda que tem e pela baby Carminho que e igual a mana Carlota. Sim, e verdade, a memória apaga os momentos menos bons e ficam apenas os bons. Já tenho saudades da minha filhota recem nascida a dormir encostadinha a mim. Bjs e mais uma vez Parabéns!!! babymf.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  7. A caminho da maternidade agora pela primeira vez, venho aqui muitas vezes ler sobre o que me espera e para me inspirar. Hoje adorei o amor e sinceridade com que transmitiu a sua nova realidade!
    Quando engravidei tinha uma ideia muito cor de rosa sobre o assunto, hoje às 22 semanas vejo que não é bem assim, no entanto e apesar de todas as provações não trocava por nada deste mundo!!
    Mais uma vez parabéns e felicidades

    ResponderEliminar
  8. Oh que bom duas princesas!!! O menos bem tb faz parte desta fase......
    Aqui estamos em preparação.
    Vou deixar de receber um milhão de beijinhos na barriga por dia, mas espero que a Simone os continue a receber ;)

    ResponderEliminar
  9. É tão bom ler estes testemunhos e ver as vossas imagens; estão lindas as princesas, mamã incluída. Um beijinho muito grande.

    ResponderEliminar
  10. costumo dizer que dois filho é trabalho a triplicar... é cuidar do primeiro, cuidar do segundo, e cuidar da interacção do primeiro com o segundo...Não é fácil não Fernanda! Mas vale tudo a pena! E lembra-se que nada é definitivo: as cólicas, as noites mal dormidas, tudo passa e acalma! beijinhos e felicidades!

    ResponderEliminar
  11. A minha adaptação durou 2 anos ;) os meus filhos têm 2 anos de diferença e foi particularmente difícil por estar quase sempre sozinha com os dois. Acresceu um conjunto de situações que foram muito particulares e que tornaram a coisa mais difícil. Acho muito sensato que recorra a todas as ajudas possíveis, incluindo uma nanny. Hoje quando olho para as fotos desse tempo não consigo deixar de sentir alguma tristeza por não ter conseguido viver esse período de forma mais tranquila.

    ResponderEliminar
  12. Fernanda, com calma, serenidade e muito amor tudo se resolve. Ciúmes, é normal, a Carlota tinha toda a atenção para ela agora apesar de pouco, tem que compartilhar com a irmã Carminho. Parabéns pela família linda!

    I.M.

    ResponderEliminar
  13. Ola ! Descobri agora o blog, parabéns é lindo e bem escrito

    ResponderEliminar
  14. que fotos e familia magnifica:)

    Portuguese Girl with American Dreams
    http://fromportugaltonyc.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  15. Pois é mamã... Tb fui mãe de 2ª viagem em outubro 2013... Tenho dois meninos lindos (o mais velho faz agora em setembro 5 anos) que me enchem o coração de amor e ternura e o corpo de cansaço...

    A adptação também foi complicada... Tal como a Fernanda o meu baby tb nasceu de cesariana (4,225kg) e tb eu me sentia reponsável por fazer tudo apesar da ajuda...

    O meu problema, apesar do Baby G ser um bebé calmo (ao contrário do R. que foi um bebé mto chorão e complicado) é que o R. está numa fase de desafio, de querer recuperar a atenção toda para ele, o que faz com que, apesar de adorar o irmão e dizer que é o seu melhor amigo, tudo origine uma birra... hora de dormir - birra! ; hora de comer - birra!!; hora de vestir - birra!!...

    E nem vale a pena explicar-lhe as coisas (o que fazemos sempre!) ... o R. pede desculpa, diz que não volta a fazer, chora tipo Madalena Arrependida, mas depois volta tudo ao mesmo...

    Tentamos fazer atividades só com ele, passar com ele tempo de qualidade... Ainda assim, não deixam de existir os momentos que o tom de voz aumenta, a paciência diminui, o cansaço ataca... Não sei como as mães de antigamente tinham 7/8 filhos e mais!! Irra!

    Espero que, tal como eu, vão descobrindo maneira de dar a volta às coisas menos boas... Agora que o G e o R já interagem e brincam juntos, é um regalo vê-los!!

    Bjinho

    Mamã Mari

    http://pequenosetraquinaseeu.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  16. Eu passei de uma para três e a adaptação não foi nada fácil... mas é isso mesmo uma questão de adaptação... e definição de novas prioridades... a casa passou para segundo plano e agora queremos é gozar as nossas metralhinhas lindas...

    ResponderEliminar
  17. Que fotos tão lindas! Parabéns pelas filhotas. São um amor :-)

    ResponderEliminar
  18. Olá, muitos parabéns pela família maravilhosa que constroem a cada dia!
    Sou mãe de um menino fantástico de 6 anos e estou grávida de 26 semanas de outro pequenino. Uma grande alegria pois já à algum tempo que tentava engravidar e quando já tinha perdido a esperança descobri que iria ser novamente mãe.
    Hoje tivemos que tomar a decisão mais difícil, que irá mudar as nossas vidas... Há 2 semanas foi diagnosticada uma cardiopatia muito grave no nosso pequenino Vicente. Depois de muitos exames, consultas, diagnósticos, conversas, lágrimas e coragem (não sei onde a fomos encontrar) decidimos lutar pelo nosso pequenino! Será um longo caminho, muito difícil, cheio de incertezas, angústias, 3 cirurgias cardíacas, uma logo após o nascimento, riscos, fé e esperança...e um outro filho em casa a precisar do nosso carinho, tempo e atenção... algumas dificuldades económicas à mistura... Mas o nosso grande Guilherme de 6 anos perguntou se podia dar o seu coração ao irmão e eu darei a minha vida pelos meus filhos! Que Deus e quem puder me ajudem...
    Um grande beijinho a todas as mães e pais, todos temos desafios a vencer!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anabela, aconselho a ler um livro chamado 'Como ser feliz com 1, 2, 3...filhos'
      Entre outras particularidades aquele casal tem quase todos os filhos com problemas cardíacos graves. E se são felizes!
      A editora é a Paulinas. Se quiser envio lho por correio.

      Eliminar
    2. Obrigada Catarina,
      vou procurar o livro, as experiências de outros pais, principalmente as positivas, ajudam muito a encarar todo este processo. Manter a esperança e um estado de espírito saudável, tem sido a minha luta a cada dia... Se não encontrar o livro vou pedir-lhe o especial favor de mo enviar. Muito obrigada pelo apoio. Um beijinho

      Eliminar
  19. Como me revejo neste post.... as minhas pequenas pipocas tem cerca de 20 meses de diferença e foi complicado o primeiro ano depois da mais pequena nascer....mas a cada dia que passa torna-se mais fácil, e é super giro vê-las brincar juntas e super amigas e protectoras. Já estão com 4 e 2 anos! :) um beijinho!

    ResponderEliminar