27 de fevereiro de 2014

Mães com pinta - Anna Westerlund

Criei esta rubrica de entrevistas para partilhar com vocês mães que para mim são inspiradoras! Mães como tantas nós, com filhos, casa e família para cuidar, projetos profissionais; que gerem o seu tempo de forma inspiradora e ainda assim mantém uma luz própria. É o caso da Anna Westerlund, 35 anos, mãe de 3, manequim, ‘chef’ no seu Chef Nino, onde preparava delíciosos menus com uma cuidada apresentação e ceramista! Eu ADORO as peças da Anna Westerlund! São simples, delicadas, LINDAS! Podem vê-las aqui ou aqui. Tudo na Anna reflete detalhe, feminilidade e felicidade!
Nesta entrevista fala-nos principalmente da sua grande prioridade - os filhos - e da sua forma de ver a maternidade, mas dá-nos também a conhecer o seu estilo, gosto pessoal e boas dicas!

Foto: João Bacelar
Nome dos filhos e idades:
Max - 3 anos
Mia - 6 anos 
Emma - 9 anos
Como foi a escolha dos nomes?
Como eu sou meia sueca e os nossos filhos têm dupla nacionalidade quisemos escolher nomes que se pronunciassem e escrevessem da mesma forma nas duas línguas
Que cuidados tiveste durante a gravidez? 
Tive três gravidezes santas talvez daí tenha sido uma grávida muito descontraída e prática. O único cuidado que tive foi besuntar a barriga com creme gordo. Tenho uma alimentação bastante saudável no meu dia-a-dia e por isso não fiz grandes alterações, a única coisa que tentei alterar foi comer qualquer coisa mais vezes ao dia.
Qual um bom produto de beleza que tenhas usado na gravidez e recomendes?
Como disse, o único produto que usei foi creme gordo. Usei o da barral pois é bastante intenso e deixava a pele bem hidratada.
Cesarianas ou partos Normais?
Foram os três partos normais. Fáceis e rápidos, sou uma sortuda!
Amamentaste? 
Amamentei os três durante mais ou menos dois meses. Confesso que não foi das melhores experiências. Não que tivesse dores ou o bebé ficasse com fome, mas foi algo que para mim enquanto mulher não gostei muito e dos três decidi amamentar só esses 2 meses. Achei que era uma escolha que eu tinha o direito de fazer, sem culpas.
O que achaste mais complicado no pós–parto?
Como em nenhum dos partos levei pontos não tive grandes complicações, fui mesmo uma sortuda. No entanto, após o nascimento da Emma, por ser a primeira, senti um turbilhão de emoções. Ora estava feliz da vida, como tinha vontade de chorar, ora cheia de energia, outras vezes morta de cansaço... 
Que cuidados aconselhas nessa fase?
Por vivermos um turbilhão de emoções acho importante falarmos abertamente com alguém que sabemos que não nos vai julgar porque só precisamos mesmo é de desabafar, não precisamos de conselhos ou opiniões. 
És uma mãe/mulher cheia de pinta. Como conseguiste manter o teu estilo pessoal durante a gravidez? 
Eu adorei estar grávida! Foram as três alturas da minha vida em que me senti realmente bonita e nada do que pudessem dizer me faria sentir o contrário. A única coisa que comprei foram calças de grávida porque de resto usava as minhas túnicas, t-shirts e vestidos mais elásticos. Acho que comprar túnicas que tenham um tecido mais elástico é uma boa ideia porque podemos voltar a usar depois.
Como defines o teu estilo pessoal?
Acho que em geral me visto de uma forma muito descontraída e confortável também por causa da minha profissão, sou ceramista e passo os dias no atelier. Mas claro que em certas ocasiões gosto de me arranjar mais, mas não consigo usar roupa que não me deixe totalmente à vontade - decotes, saias muito curtas, etc fazem-me sentir pouco à vontade. Gosto de roupa versátil que, dependendo da combinação dos acessórios, possa usar tanto para o trabalho, para a praia ou para sair à noite. E há várias marcas que têm este género de roupa, um exemplo é a Vintage Bazaar que eu adoro! Principalmente por isso, pela sua versatilidade.


O estilo de roupa que gostas para os teus filhos é uma extensão do teu, ou para as crianças gostas de um estilo completamente diferente?
Na verdade visto-as muito ao meu género, confortáveis e descontraídas. Gosto de ver os meus filhos com roupas coloridas e que se sintam à vontade para correr, subir às árvores e que sintam que se podem sujar. 
Qual a peça ou marca must-have no armário dos teus filhos? Alguma cor preferida? 
Gosto muito de cinzento conjugado com cores fortes. As minhas filhas já escolhem o que querem vestir e adoram calções de todos os feitios e cores que usam verão e inverno. O Max ainda sou eu que escolho e confesso que o gosto de ver asim num estilo entre o surfista e skater :) Uma marca recorrente no armário dos três é Pepe Jeans.
Como concilias a tua vida de mãe, mulher e profissional?
Confesso que não é fácil e desconfio sempre de quem diz que é! :) Aprendi que só com alguma organização conseguiria conciliar tudo. No entanto, às vezes há que fazer escolhas. Precisamente por isso, ainda há pouco tempo, deixei o Chef Nino, restaurante que tinha no Lx Factory, porque tive que escolher. Porque não conseguia conciliar esse projecto com a cerâmica e os meus filhos. Mas não me arrependo nada porque não há dúvida nenhuma de que eles são uma prioridade total!
Colégio antes dos 3 anos, sim ou não?
Na minha opinião sim, não que se puderem ficar em casa não seja bom, mas pelo simples facto de o nosso país não apoiar a mãe nessa decisão! Também acho preferível irem para o colégio em vez de ficarem com empregadas ou avós. Acho que a partir do ano e tal, hoje em dia, as crianças já ganham com a sociabilização. No entanto, acho que se deve privilegiar um colégio que promova a brincadeira ao ar livre, as artes e o brincar e não esteja preocupado em ensinar-lhes muitas coisas no sentido em que a brincadeira livre é o principal nestas idades.
Qual a importância das artes na infância dos teus filhos? Estimulas esse contacto?
É essencial em qualquer idade principalmente na infância porque promove a auto confiança e outras tantas coisas essenciais no desenvolvimento de um adulto em potência. Mas quando falo em artes na infância não é pôr as crianças a pintar desenhos sem sair da linha é deixá-los ser livres a experimentar materiais e livres na representação do mundo que os rodeia. Os meus filhos têm a sorte de ter um atelier de cerâmica em casa onde eu os deixo andar à vontade, onde testam muitos materiais e onde são livres de fazer as mais variadas experiências.
Qual o programa que mais gostam de fazer em família?
O que gostamos mais é de estar todos juntos. Qualquer que seja o programa se estivermos todos já é uma festa. Mas gostamos muio de ir à praia no verão e principalmente no inverno quando há menos confusão. 



Diz-me 3 valores que consideres fundamentais para a vida e que pretendes passar aos teus filhos.
Solidariedade, respeito e integridade. Que essencialmente saibam amar.
Gostavas de ter mais filhos?
Tenho quatro filhos, a Emma, a Mia, o Max e o João Francisco meu enteado. Tenho a família que sempre desejei, por isso neste momento já só me imagino avó.
O que que a mãe Anna Westerlund de ontem, diria à mãe Anna Westerlund de hoje?
Eu não faria nada de diferente e vivo muito o momento, por isso a Anna de ontem não diria nada à Anna de hoje. Quanto muito a Anna de hoje teria dito à de ontem que ser mais organizada traz coisas boas.
Costumas acompanhar o Blog da Carlota?
Confesso que a minha leitura à noite são vários blogs. Um blog tem essa capacidade de nos fazer companhia, e o Blog da Carlota faz parte dessa minha lista. 

Obrigada Anna! 

O Blog da Carlota também está no

6 comentários:

  1. Muito estilo, gostei da entrevista.

    www.prontaevestida.com

    ResponderEliminar
  2. Já gostava da Anna, e esta entrevista veio só confirmar! :) Concordo muito com a parte do colégio e das artes, e cada vez que ouço, vejo e penso nisso, fico feliz por ver que tive sorte na escolha da escola da minha filha! :) beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Adorei a entrevista, como mãe que sou admiro quem consegue manter o corpo impecável.

    Adorei

    Sou seguidora do teu blog há muito tempo, seria para mim um orgulho se seguisses o meu também

    http://simplesmentecoisasquegosto.blogspot.com/

    Obrigada.

    ResponderEliminar
  4. Gostei. Direta, simples e descontraída.

    ResponderEliminar