23 de outubro de 2013

Os brincos da baby C

Já são inconfundíveis, quer pelo modelo, quer pelos padrões.
Para mim são um must-have a cada estação - Umas jardineiras Piupiuchick.

Adoro estas com a aplicação em crochet!!





Foi o kit escolhido esta manhã - enquanto a chuva nos deu um intervalo e não está frio - para dar um passeio a pé, passar nas poças de água com as galochas e brincar com as folhas caídas no chão. 
É preciso tão pouco para fazer uma criança feliz. E com a minha filha reaprendo também a ser feliz com as coisas mais simples.



Camisa de golas - Piupiuchick (ano passado)
Jardineiras Piupiuchick
Galochas - Zippy

A Piupiuchick vai estar em Lisboa, no Mercadito da Carlota de Natal -  Dia 1 Dezembro - Museu da Carris

O padrão de Natal da marca será lançado no Mercadito e é o segredo mais bem guardado!!

*
Há imenso tempo que me pedem para falar aqui sobre quando furei as orelhas à baby C, onde e como foi a experiência e ainda sobre a escolha dos brincos. Furar ou não furar as orelhas - não é um tema consensual entre as mães, mas pessoalmente adoro ver, acho que ficam umas bonecas. Eu tenho desde que era bebe de 9 meses, por isso para mim nem é uma questão.
Acho a coisa mais querida bebés com brincos pequeninos e delicados.
Em Espanha, no Brasil e outros países da Europa é bastante comum furar as orelhas em bebé, em Portugal atualmente acho que nem tanto... 
À C furei com 20 meses e depois da experiência, diria até que o ideal é furar um bocadinho mais cedo. Acho que furar em bebé tem a vantagem de serem menos sensíveis à dor e de nem perceberem o que está a acontecer. 

Passo a passo com a C:
Fomos a uma farmácia que me indicaram por ter uma pessoa extremamente delicada e com experiência a furar as orelhas a bebés.
1 - A senhora passou uma pomada que anestesia o local e deixou agir por uns minutos.
2 - Depois marcou com uma caneta o ponto do furo para ver o local ideal para colocar os brincos e verificou com uma régua se estava igual dos dois lados.
3 - Por último pegou no brinco colocou na pistola e disparou-o no pontinho feito a caneta. Nesse momento a C começou a chorar, mas acho que foi mais susto com o barulho, porque calou-se logo de seguida. O problema foi quando percebeu que a senhora ia repetir o processo.
Por isso - IMPORTANTE - Escolham um sítio em que lhes façam os dois furos ao mesmo tempo! Sobretudo com miúdas mais crescidas, pode haver o risco de querem ir embora só com uma orelha furada...
Outra dica tem a ver com a escolha do modelo de brinco, o ideal é que seja pequeno e o mais simples possível e sem aquelas garras, para não prender na roupa. Eu escolhi umas bolinhas pequeninas, prateadas, em titânio (anti-alérgico). Depois é ir rodando o brinco. Eu escolhi o verão porque há menos camisolas a enfiar pela cabeça e a água do mar também ajuda na cicatrização. Correu tudo lindamente e a C adora ter brincos como a mãe.


O Blog da Carlota também está no


13 comentários:

  1. Seguindo essas indicações, acho que só vou furar então as orelhas à I. no próximo Verão. Quanto às galochas, comprei-lhe umas iguais mas em cor-de-rosa. Infelizmente tem estado doentinha em casa (o mesmo problema do colégio) e ainda não as estreou à chuva. Beijinhos!

    ResponderEliminar
  2. Pode dizer em que farmácia foi? Na minha dizem que só a partir dos 3 anos é que furam...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Foi numa farmácia perto do Oeiras parque, acho que se chama Farmácia Sacoor...

      Eliminar
  3. Eu levei a minha filha a uma ourivesaria para furar as orelhitas com cerca de 6 meses e não me arrependo porque correu lindamente, a orelha ainda era muito "tenrinha" foi fácil furar e ela quase nem deu por nada, choramingou e fez um beicinho, ficou um bocadinho aborrecida, mas passou! Não infetou, foi só o tal cuidado de ir rodando para não "colar" quando começou a usar brincos de ouro notei que os que tem aquela pecinha de encaixar atrás por norma têm um bico que quando ela estava a dormir e punha a cabecita de lado ficava com receio que esse bico espetasse a cabecita dela e optei por aqueles modelos "vintage" que fecham à frente, tem sempre os brincos postos e nunca houve nenhum problema. Escolhi furar as orelhas cedo à minha filha porque não me furaram as minhas em bébé, furei por opção própria com 13 anos, doeu e demorou a cicatrizar. Batizei a minha filha com 4 meses e ofereceram-lhe 2 pares de brincos de ouro que tinha pena de estarem sem uso e então aos 6 meses ganhei coragem e lá ficou a Princesa Juju em modo bonequinha :-)

    ResponderEliminar
  4. Eu tenho as minhas furadas desde bebé mas não consigo fazer o mesmo à minha Alice (agora com 21 meses). Acho uma tortura desnecessária, acho que essa opção deve ser dela quando for mais velha e que eu como mãe não tenho o direito de lhe furar as orelhas.
    Contudo, a decisão é de cada família.

    P.S. A Carlota é um sonho de menina, das meninas mais lindas e doces (a julgar apenas pelas fotos) que já vi. Um bj de parabéns e tudo de bom à família.
    Venho cá muitas vezes ver-vos, apesar de raramente, muito raramente comentar.

    ResponderEliminar
  5. Ainda não tive coragem para furar as orelhas da minha filha, acho que só quando ela me pedir....

    ResponderEliminar
  6. Que bonequinha!!! Adoro para além das jardineiras, o pormenor das galochas!! TOP! Quando tiver uma menina quero vestir essas roupinhas todas! ;)

    ResponderEliminar
  7. Confesso que não gosto de ver crianças pequenas com brincos e que só a ideia de furar as orelhas à minha filha me aflige. Mas os brincos da Carlota devem ser mesmo pequenos pois nunca reparo.

    ResponderEliminar
  8. Eu furei à minha M. com 1mês e meio. Na primeira fez beicinho, e aconcheguei-a melhor no meu peito para o segundo furo, e depois deste chorou um bocadinho. Mas como era tão pequenina passou muito, muito rápido. Dei-lhe um colinho de mamocas (que ela adorava :P) e calou-se. A cicatrização também correu muito bem, até pelo facto de ser muito pequena deixar tratar sem grandes problemas. Hoje a M. tem três anos e nunca teve qualquer problema. Como diz, para mim, furar as orelhas (ou não) nem era uma questão. Era um dado assumido que sendo menina teria as orelhas furadas o quanto antes. Da parte do pai houve algumas reticências, mas rapidamente ultrapassadas. O facto de ser homem e ver o furo da orelha como um furo, mesmo, ehehehehe, e associar dor ao procedimento estavam a assusta-lo, mas depois de tudo explicado concordou. A única condição foi que se corresse mal, ou infectasse, não havia mais furos nenhuns.
    Um beijinho
    Sandra

    ResponderEliminar
  9. Que fotos maravilhosas! A Carlota está cada vez mais lindocas.

    http://mammyontheblog.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  10. Tão fofinha:) fica um máximo com essas galochas!!

    http://Styleloveandsushi.blogspot.com

    ResponderEliminar
  11. Percebo que é uma questão cultural e não considero, de todo, pior mãe quem o faz mas acho que deveria ser proibido furar as orelhas de bebés e crianças pequenas. Dizer que não dói é uma desculpa difícil de aceitar. Qualquer enfermeira ou pediatra confirmará que dói, como se fosse necessário declarações de um profissional de saúde para constatar o óbvio. Se calhar sou eu que sou sensível demais mas uma mutilação socialmente aceite, não deixa de ser uma tortura fútil e desnecessária. Não me vou alongar mais porque, de facto, não quero encher este blog (de que gosto muito) com um comentário extenso, ainda por cima menos positivo, mas deixo link para um texto que fiz sobre este assunto: http://www.vinilepurpurina.com/?p=845

    ResponderEliminar