23 de outubro de 2013

Os brincos da baby C

Já são inconfundíveis, quer pelo modelo, quer pelos padrões.
Para mim são um must-have a cada estação - Umas jardineiras Piupiuchick.

Adoro estas com a aplicação em crochet!!





Foi o kit escolhido esta manhã - enquanto a chuva nos deu um intervalo e não está frio - para dar um passeio a pé, passar nas poças de água com as galochas e brincar com as folhas caídas no chão. 
É preciso tão pouco para fazer uma criança feliz. E com a minha filha reaprendo também a ser feliz com as coisas mais simples.



Camisa de golas - Piupiuchick (ano passado)
Jardineiras Piupiuchick
Galochas - Zippy

A Piupiuchick vai estar em Lisboa, no Mercadito da Carlota de Natal -  Dia 1 Dezembro - Museu da Carris

O padrão de Natal da marca será lançado no Mercadito e é o segredo mais bem guardado!!

*
Há imenso tempo que me pedem para falar aqui sobre quando furei as orelhas à baby C, onde e como foi a experiência e ainda sobre a escolha dos brincos. Furar ou não furar as orelhas - não é um tema consensual entre as mães, mas pessoalmente adoro ver, acho que ficam umas bonecas. Eu tenho desde que era bebe de 9 meses, por isso para mim nem é uma questão.
Acho a coisa mais querida bebés com brincos pequeninos e delicados.
Em Espanha, no Brasil e outros países da Europa é bastante comum furar as orelhas em bebé, em Portugal atualmente acho que nem tanto... 
À C furei com 20 meses e depois da experiência, diria até que o ideal é furar um bocadinho mais cedo. Acho que furar em bebé tem a vantagem de serem menos sensíveis à dor e de nem perceberem o que está a acontecer. 

Passo a passo com a C:
Fomos a uma farmácia que me indicaram por ter uma pessoa extremamente delicada e com experiência a furar as orelhas a bebés.
1 - A senhora passou uma pomada que anestesia o local e deixou agir por uns minutos.
2 - Depois marcou com uma caneta o ponto do furo para ver o local ideal para colocar os brincos e verificou com uma régua se estava igual dos dois lados.
3 - Por último pegou no brinco colocou na pistola e disparou-o no pontinho feito a caneta. Nesse momento a C começou a chorar, mas acho que foi mais susto com o barulho, porque calou-se logo de seguida. O problema foi quando percebeu que a senhora ia repetir o processo.
Por isso - IMPORTANTE - Escolham um sítio em que lhes façam os dois furos ao mesmo tempo! Sobretudo com miúdas mais crescidas, pode haver o risco de querem ir embora só com uma orelha furada...
Outra dica tem a ver com a escolha do modelo de brinco, o ideal é que seja pequeno e o mais simples possível e sem aquelas garras, para não prender na roupa. Eu escolhi umas bolinhas pequeninas, prateadas, em titânio (anti-alérgico). Depois é ir rodando o brinco. Eu escolhi o verão porque há menos camisolas a enfiar pela cabeça e a água do mar também ajuda na cicatrização. Correu tudo lindamente e a C adora ter brincos como a mãe.


O Blog da Carlota também está no