25 de fevereiro de 2013

Esclarecimento - Colares de âmbar

Está lançada a discussão - Colares de âmbar sim ou não? 
A agência lusa solicitou a minha opinião, enquanto blogger que acompanha as tendências infantis, sobre se noto uma moda, tendência crescente no uso dos colares de âmbar em bebés e crianças pequenas e ainda, se senti que o colar de âmbar fez efeito na minha filha.

Tive conhecimento da existência dos colares de âmbar quando a Carlota nasceu, pela família e por amigas que usaram nos seus filhos (alguns agora adolescentes) e que me falaram da sua existência e dos seus "benefícios". Por isso a ideia não é de agora, apesar de achar que sim, que existe uma tendência crescente!
Acho que os pais, em primeiro lugar, se preocupam efectivamente em encontrar soluções que minorem nos seus bebés as chatices provocadas pelo rompimento dos primeiros dentes. E depois, talvez, pela questão estética. Mas se falamos da questão estética, então e os colares de prata e ouro, tão enraizados na cultura portuguesa?
Não há provas científicas sobre o benefício dos colares de âmbar, é verdade. Mas, de facto, a C não tem tido as chatices comuns com o nascimento dos dentes. Se é coincidência... pode ser!
A C usa desde os 6 meses e nunca senti, em momento algum, que representasse um perigo para ela. Até porque ela nem se lembra que o tem posto.
No entanto, o que quero clarificar neste post é que eu não aconselho (ou desaconselho) o uso de colares de âmbar, ou de prata, ou ouro... Acho inclusive, muito importante haver agora informação médica disponível sobre o assunto. Estas são opções que cabem a cada pai, a cada família. Tal como furar ou não as orelhas em bebé, vacinas, sim ou não?  etc, etc, etc.

Sobre a minha descoberta dos colares de âmbar podem ainda ler o meu post de 16 de Abril 2012 aqui


41 comentários:

  1. Muito bem! Também os usei nas minhas filhas, mas provavelmente na próxima não o irei fazer. Quando nasci, o pediatra também dizia à minha mãe que devia por-me a dormir de lado, e agora dizem para pôr de costas... Enfim, daqui a uns anos, com mais investigação, será outra coisa qualquer. Beijinhos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Sofia! Outro bom exemplo sem dúvida, a questão do deitar de lado....
      Beijinhos

      Eliminar
  2. "Tal como furar ou não as orelhas em bebé, vacinar, sim ou não?"
    as comparações aqui parecem-me tontas :)
    estamos a falar de coisas completamente diferentes...

    eu utilizei colar de ambar nos meus filhos e também não sei se, cientificamente falando, fez diferença ou não.
    Senti que aliviava, mas também podia ser do Chamodent que lhe dei e das pomadas que utilizei..
    o que noto hoje em dia é que os miudos utilizam muito depois da chamada "altura dos dentes" , por isso, também já me parece uma questão de moda.

    Mas o meu pediatra não aconselhou, essa é a verdade..

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não me parecem tontas, porque não são comparações. São outros exemplos em que a decisão parte da opinião/ julgamento dos pais.

      Eliminar
    2. Também não me parecem nada tontas, aliás é disso mesmo que se trata: decisão dos pais.
      Nunca usei porque tinha medo da asfixia, mas nunca perguntei ao pediatra, e sempre ouvi as mães que usavam a dizer bem. O mesmo com furar as orelhas, ou dar ou não carne de porco...uma decisão dos pais. E os pais procuram fazer sempre o melhor, de um modo ou de outro.

      Eliminar
    3. a questão das vacinas é que achei pouco "comparável" com furar orelhas e pôr ou não colares de âmbar.
      Com certeza que tudo depende da opção dos pais, mesmo a sua opinião, será sempre a de mãe.
      A agência Lusa pede-lhe a sua opinião pela mãe que é e não especialista da matéria, logicamente.
      Os blogs têm estas características :) tudo corre bem quando concordamos com tudo escrito.
      Se discordamos (e note, eu só discordei de uma parte) vem a resposta seca e os seguidores ajudar!

      Eliminar
    4. Maria da Luz, nada disso! :) Até acho interessante o debate desta questão. Só estava a explicar melhor a minha ideia.

      Eliminar
    5. Catarina Nicolau Campos, concordo 100% consigo - no fundo, os pais procuram fazer sempre o melhor, de um modo ou de outro.

      Eliminar
    6. também não achei tonta a comparçao ate porque somos nos pais que decidimos ate mesmo com as vacinas que são o caso da prevenar e da rotavirus que decidimos se damos ou nao aos nossos filhos,nesse caso commo a Fe falou decidimos sim,Maria da Luz

      Eliminar
    7. Desculpem meter-me ao barulho, mas como pediatra da Carlota e leitor do blogue, sinto necessidade de esclarecer algumas coisas. Claro que são os pais quem decide, mas para tal deveme star devidamente informados, do ponto de vista científico.
      Podem deitar os vossos bebés como quiserem, mas têm de saber que se os deitarem de bruços correm 4 x mais hipóteses de eles terem morte súbita do lactente, e de lado, 2 x mais. É isso que têm de saber - se os querem fazer correr esse risco, se é um grau de risco aceitável e como ficarão se algo acontecer. Idem para as vacinas e, atenção a um erro acima: nenhuma vacina é obrigatória, todas, incluindo as do PNV são facultativas. Mas os pais que pensem se se dormirão alguma vez mais se a criança morrer de uma meningite por pneumococos invasivos ou se tiver de ser internado 2 dias num hospital por desidratação no decurso de uma gastroenterite por rotavírus - estas vacinas só não estão no PNV pela conjuntura financeira do Estado. Ou se o transportarem mal no automóvel, ou tantas coisas mais, Ter filhos e agir sobre eles é um direito e uma benesse, mas também uma responsabilidade que encerra deveres. Não é apenas "uma opção dos pais", e para isso existem leis e bom senso...
      Quanto aos colares de âmbar, e quaisquer colares, mantenho a minha opinião. Não há provas de que façam alguma coisa relativametne aos dentes, há provas de que podem causar enforcamento e lesões graves do pescoço. Mesmo sem casos (ainda) em Portugal, estaremos à espera do primeiro apra as televisões darem directos ás 8 da noite e todos se compungirem muito?
      Abraços

      Eliminar
    8. pronto, ainda bem que o Dr. Mário Cordeiro falou e explicou em melhores palavras aquilo que achei ser uma comparação "tonta".
      Furar orelhas e vacinar os nossos filhos, são, na minha opinião, realidades paralelas.
      Mesmo esta questão dos colares, a partir do momento em que podem pôr em risco a vida dos nossos filhos e nós decidimos usá-los na mesma, tem um impacto diferente da decisão de vacinar ou não uma criança.
      Não tenho muita paciência para o séquito de defensoras das bloggers que ao ser (minimamente) contrariadas, levantam logo uma onda de apoio contra quem tem opiniões diferentes.
      Enfim, o mundo é enorme e desde que haja respeito, todos temos lugar nele.

      Eliminar
  3. Olá Fernanda,

    Eu não usei nas minhas filhas (nem de âmbar nem outros) enquanto eram bebés precisamente devido ao medo de asfixia mas também de que fosse incómodo. Atualmente as minhas filhas têm 6 e 4 anos e a mais nova, que é do mais vaidoso que existe, está a "vingar-se" dos anos em que não usou adornos (se a deixasse, sairia de casa ao estilo árvore de natal - cheia de enfeites e a brilhar).

    Bom, isto apenas para lhe dizer que sim, concordo que é uma decisão dos pais (e os pais querem-se esclarecidos) e achei importante ter frizado que não está a fazer campanha nem pelo sim nem pelo não. Sendo a Fernanda blogger e tendo muitaaaaaas seguidoras, acho importante que o tenha feito.

    Beijinhos e felicidades!

    Dinastia FilipiNHa

    ResponderEliminar
  4. Admito que não conhecia estes colares antes de os ver em alguns blogs (nomeadamente, neste) e de ler sobre o assunto no Grande Livro do Bebé do Prof. Mário Cordeiro.

    Acho que não usaria, devido ao risco (mesmo que ténue) de asfixia. Mas a minha filha nunca sofreu com o rompimento dos dentes. Se o caso tivesse sido diferente, talvez ponderasse experimentar. Quem sabe.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Usei na Maria mas depois proibiam na escola por causa de casos de asfixia... Nunca mais usei. :( é pena, porque ficam mesmo giros..;)

      Eliminar
  5. Nao acredito nos efeitos mas acho giro(a estética) nos bebés q usam. Nunca pus nos meus porque acho que pode ser perigoso. Resumindo, nao ía por nos meus filhos só por achar giro.

    ResponderEliminar
  6. Olá Fernanda
    A nossa diferença de opiniões não constitui uma polémica - e espero que ninguém a transforme nisso!
    Realmente, numa altura em que o bebé começa a mexer-se, com gestos repentinos, mesmo um colar com 33 cm pode enganchar, sobretudo na Primavera e Verão em que andam mais "esgoleirados", e com o movimento brusco, causar um estrangulamento ao nível da "maçã de adão" - ou seja, laringe e osso hióide, e ainda nas veias jugulares e nas carótidas - a pressão súbita da carótida dá um desmaio automático.
    Para lá disso, não há uma rtigo científico que consubstancie a vantagem do ambar relativamente às dores da dentição. Pelo menos se considerarmos estudos com metodologia científica e protocolos duplos-cegos em amostras representativas, suficientemente grandes para fazer uma regressão linear e afastar factores confundentes e viezes.
    Assim, desde 1995 que sempre expressei a minha opinião contra, quando fazia parte da APSI e estudei a fundo o assunto. E nada mudou, entretanto.
    Cada um fará o que entender, mas é bom que se tenha noção dos eventuais riscos - que dizem respeito a todos os colares, mas estes, particularmente, porque não quebram...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Dr. Mário,
      Espero e acho que não! :) Nem faria sentido porque o Dr. Mário é um pediatra que admiro e claro, o pediatra da Carlota. Inclusivé já tinhamos falado no tema e na sua pesquisa. Por outro lado, volto a referir, que não defendo, nem aconselho o uso dos colares de âmbar. Apenas enquanto mãe, partilho no blog que uso na Carlota e que nunca percebi qualquer problema. Felizmente, também não tem tido chatices com os dentes. Pode ser coincidência....
      Cada pai fará o que entender, usando a informação que agora está disponível a todos.

      Eliminar
    2. Lendo o comentario do dr M, concordo de facto com a questão dos traumatismos, mais até q asfixia. Tenho dois filhos e nas brincadeiras entre crianças há muito contacto físico. E mal comparando, faz me mais confusão o uso de lenços e cachecois, que se vendem em lojas como a zara, mesmo na secção de baby.

      Eliminar
  7. Boa tarde.
    A minha Madalena tem 3 anos e 9 meses e usa um colar de ambar desde os 6 meses, comprei o indicado para crianças e realmente ela não sofreu tanto como o irmão se é coincidência ou não também não sei.Hoje já usa também outro com uma cruz por opção dela e nunca teve qualquer problema. Acho que é uma decisão de qualquer pai e como é obvio ninguém quer pôr a vida do filho em risco.Os ganchos também levam crianças ao hospital por deglutição dos mesmos, e outros acessórios que já implicaram idas aos hospitais das crianças ou mesmos dos pais, no entanto continuam a ser usados por crianças.
    Qualquer decisão é sempre dos pais. Acho bem mais perigoso a falta de cadeiras de bébés adequadas nos veículos que circulam na estrada isso sim deveria ter mais enfase.
    colares e acessórios é uma opção nossa e tudo poderá ter beneficios ou não.
    Fernanda obrigada pela sua opinião

    ResponderEliminar
  8. Boa noite, ainda não sou mãe, mas, enquanto educadora de infância já presenciei alguns casos de crianças que usavam colares de âmbar. A primeira vez que uma aluna minha trouxe o colar fiquei com receio de ela poder sufocar com o colar e apresentei as minhas dúvidas à mãe. A mãe falou-me dos beneficios que os colares poderiam ter durante o nascer dos dentes e que a menina nem se lembrava que o tinha posto. Não muito convencida mas como a mãe fazia questão de usar o colar eu não o poderia impedir dentro da sala de actividades, afinal cada pai sabe o que é o melhor para o seu filho e nós apenas devemos aconselhar e não dizer o que eles devem ou não usar nas crianças. A verdade era que os dentinhos iam nascendo e a criança sempre bem disposta, sem febre nem dores. Houve um dia em que a mãe se esqueceu de por o colar na menina porque lhe tinha dado banho (e de cada vez que lhe dava banho tirava-lhe o colar). Nesse dia a criança esteve muito rabugenta e queixosa, chegando mesmo a ter picos de febre, no dia seguinte trazia o colar e muito bem disposta, sem febre nem nada dos sintomas apresentados no dia anterior. houve outras vezes que a mãe acabou por se esquecer do colar e comecei a reparar que sempre que ela nao trazia o colar apresentava uns sintomas nada agradáveis. Posso dizer que cheguei mesmo a ligar a mae a pedir para não se esquecer de por o colar na menina porque sempre que o colar não vinha ela ficava muito queixosa. Com este depoimento só quero dizer que, se o que dizem sobre os beneficios do colar são verdade ou não, não sei, só sei que com esta situação fui obrigada a acreditar que sim, mesmo porque depois disso presenciei outros casos. aproveito para dar os parabens pelo teu blog. É o maximo,assim como a Carlota: Linda. beijinhos

    ResponderEliminar
  9. O meu filho nunca usou um colar de ambar, e nunca sofreu com os dentes... lol E desculpem a sinceridade, e tb não pretendo fazer deste meu comentário um campo de batalha, mas acho terrivel quando ainda leio nos comentários, a unica ocasião que a tira é na natação porque é obrigada, porque nem para dormir tiro. É triste sacrificarem as vossas filhas em prol de uns comentários em que a garota está gira, e na moda, e pardais ao ninho! Ela tem tempo de se enfeitar, de seguir a moda. Agora já pensaram que isso pode ser desconfortável para a criança? Se as crianças falassem... É de lamentar. É só isso!

    ResponderEliminar
  10. Eu nunca achei grande piada aos colares de âmbar, nem por si, nem vistos nos bebés. Penso sempre que podem inadvertidamente prender um dedo ou mesmo uma mão e não se saberem soltar. Nunca me pareceu uma grande ideia... Ainda pensei que tivesse algum fundo de verdade, mas realmente, sem qualquer evidência científica, ainda menos interesse têm para mim...

    Quanto a modas, há modas tão mais giras, e tantas modas por onde escolher!
    E ninguém precisa colocar um colar de âmbar num bebé por lhe parecer bem, mas infelizmente há quem ponha, essa parte então é lamentável...

    Beijinho e obrigada pelas excelentes sugestões!

    ResponderEliminar
  11. Boa noite! Confesso que quando li o post sobre o colar e constatei que a Carlota usava sempre, pensei em comentar, mas, afinal, ninguém me tinha pedido opinião. Mas uma vez que o tema "está na mesa", admito que sempre pensei que nunca dormiria descansada se a minha filha tivesse algo enrolado no pescoço... muito menos algo com contas... é super perigoso, penso que é evidente para qualquer um mas agora está explicado em termos técnicos. E não me levem a mal, mas não podemos pensar só que "cada pai decide o que quer para o seu filho", temos que pensar que é nossa obrigação escolher o melhor para eles, e o melhor, entre colocar um colar que oferece perigo, ou não o colocar, parece-me óbvio que é não colocar... penso que não está, de facto, nas "mãos" dos pais, é uma questão de segurança, de responsabilidade. Espero, enfim, que a moda passe rápido...

    ResponderEliminar
  12. Fico atónita com alguns comentários... Sai um estudo a dizer que os colares são perigosos para os nossos filhos e ainda há mães que os defendem, não compreendo sinceramente. Ainda bem que os vossos filhos não sofreram com o colar que usam, ainda bem que o período dos dentes foi passado sem grande sofrimento, mas cientificamente não tem a ver com o uso dos colares.
    Por isso por favor, tenham cuidado e aceitem os perigos que deles podem advir.

    Eu vou esperar mais uns anos até embelezar a minha filha com um colar.

    ResponderEliminar
  13. Curiosamente Até hoje só vi meninas a usarem estes colares! Coincidência ou será mesmo uma questão de modas e não de beneficiOs?

    ResponderEliminar
  14. Oh meu Deus que exagero!!!
    Os colares são perigosos sim, mas são perigosos se deixarmos os miudos sem vigilância andarem com os colares, ou dormirem com os colares!!
    Debaixo do nosso olho qual é o problema de terem um simples colar??? Alguma coisa estamos lá a ver!!
    É uma decisão dos pais sim, ou vão chamar a protecção de menores para averiguar??
    Essa é boa... realmente! Se eu achar que o melhor para o meu filho é usar um colar de âmbar porque acredito que faz bem aos dentinhos, EU É QUE SEI.
    Antigamente os bebés usavam fios de ouro, fios com chupetas penduradas... A minha avó foi ama e lembro-me dos bebés assim...Nenhum se asfixiou!...Alias ainda hoje se usa corrente de chupeta que não é um colar mas pode asfixiar à mesma!!
    Há uma serie de perigos que os miúdos estão expostos! Mas é para isso que servem os nossos olhos, para os vigiar!!

    ResponderEliminar
  15. cá por casa nao usamos o colar, se o T teve dores com o nascimento / aparecimento dos dentes so nos aconteceu ver isso 2 vezes nada que o benuron nao solucionasse( claro esta que colocamos a questão a pediatra sobre o uso do colar mas ela nao aconselhava ) e foi o melhor que aconteceu pois se tivéssemos usado diríamos que era o colar que estava a retirar as dores

    ResponderEliminar
  16. Não colocarei colares nos meus filhos, enquanto pequenos, seja por que motivo for. Não tem qualquer evidência científica e se puder evitar acidentes evito.

    ResponderEliminar
  17. Mary, aqui estamos a falar de dormir mesmo com os colares... o que como admite é perigoso. Mas também o é andar durante o dia. Eu pelo menos falo por mim, não tenho hipótese de vigiar a minha filha 24 horas/dia porque infelizmente não passo com ela esse tempo todo. E não, não é tudo uma decisão dos pais, o bem estar da criança está acima de tudo, e aqui está em causa uma prática expressamente desaconselhada pelos médicos... acho que não é opção dos pais expôr uma criança a um perigo de forma involuntária... os filhos são nossos filhos, mas não são nossa propriedade...

    ResponderEliminar
  18. Antes de mais parabéns pelo lindo blog.
    A minha opinião é que os acidentes não acontecem só aos outros e ninguém consegue ter os seus filhos debaixo de olho o tempo todo. Todos temos as nossas, ainda que mínimas, distracções, porque ninguém é perfeito. Como uma mãe disse supra, "temos que pensar que é nossa obrigação escolher o melhor para eles, e o melhor, entre colocar um colar que oferece perigo, ou não o colocar, parece-me óbvio que é não colocar...".
    Efectivamente "antigamente" os bebés usavam fios de ouro, fios com chupetas penduradas... e infelizmente eu conheço um caso que é exemplo de que os acidentes realmente acontecem, e com consequências muito infelizes.
    Por isso mais vale prevenir do que remediar.
    Existirão sempre perigos, coisas que infelizmente nem nos passaram pela cabeça, mas se ouço dizer que um colar ou fio pode trazer um risco de acidente, simplesmente prefiro não arriscar.
    Ou será que só devemos proteger os nossos filhos das esquinas, das tomadas eléctricas, dos medicamentos e produtos tóxicos e com cadeirinhas de segurança, entre outros cuidados?
    Os acidentes domésticos são a principal causa de morte entre crianças.

    ResponderEliminar
  19. Desdculpem a insist~encia, mas a experiência pessoal não conta. Ao definirem-se regras e noções científicas, não são amostras pequenas e de conveniência que "decretam", mas estudos longitudinais prolongados e com grandes amostras.
    Mary: mesmo que esteja a olhar param a sua filha, ela pode de repente levantar-se, o colar enganchar-se, não se quebra e com o movimento de propulsão que ela fará com a cabeça, para instintivamente se soltar, pode enforcar-se.
    Use, se quiser, mas saiba isto.
    Claro que há sempre riscos e não podemos imaginar uma vida sem riscos, mas aqueles que identificamos e que está ao nosso alcance prevernirmos, creio que é nosso dever evitá-los. Também todos nós andámos no carro à solta, apoiados no banco da frente dos pais e estamos aqui a conversar. Contudo, nos cemitérios onde estão milhares de crianças que morreram por não irem bem transportadas, não há internet.
    Desculpem ser tão cru, mas quando fundei a APSI, em 1992, vi o que Portugal era e como funcionava, e como as pessoas desdenhavam a segurança infantil, convencidas que "ao meu não acontece nada". Pode acontecer, mas com menos probabilidade se tomarmos alguns cuidados.
    Finalmente, não deixa de ser curioso, como apontaram, que só as raparigas usem... entãoos rapazinhos, coitados, não merecem ser isentados das dores de dentes???

    ResponderEliminar
  20. Muito bem dito, Dr. Mário... acho que isto diz tudo...

    ResponderEliminar
  21. Exactamente. E volto a frisar, não é tudo "decisão dos pais", como disse o Dr. Mário, e muito bem, os pais têm o direito de decidir sobre os filhos, mas o dever de agir sobre o melhor para eles! E perante este conflito, não creio, nunca, que os pais tenham o direito de se omitir a esse dever e colocar de forma esclarecida e voluntária os filhos em perigo, ainda por cima por tão pouco! Quando a Fernanda diz "nunca senti que não existisse algum perigo", peço-lhe imensa desculpa, e com todo o respeito, mas esse "sentir" parece-me que não basta. E claro, também concordo com o Dr. Mário, aqueles que eventualmente sucumbiram num acidente não estão cá para contar a história...

    ResponderEliminar
  22. Que coisa. Nunca tinha ouvido nada disto sobre os colares de âmbar e sinceramente não acredito. Até acho bastante perigoso. Pode ser também perigoso para os dentinhos. Não prefiro os elásticos com penduricalhos como a sua pequenita usa....beijinho e parabéns pelo blogue que só há poucos dias conheci....ando a Leste;)

    ResponderEliminar
  23. Queria dizer é que prefiro os colares elásticos;)

    ResponderEliminar
  24. Olá a todos,

    Como tudo na vida há vantagens e desvantagens uma coisa é certa quando se fala de medicinas alternativas todos os médicos ou quase todos não entendo porquê falam mal e trocem o nariz,
    mas o que é certo é que elas resultam. Tenho dois filhos e usei colar de âmbar nos dois e digo que resultou, em portugal existem vários sítios onde se podem comprar temos que ter atenção no que estamos a comprar, eu encontrei um site onde o preço é justo e são muito fixes. (sosdentinhos) Lamento o facto de publicarem noticias sobre coisas que realmente desconhecem baseando-se no facto de serem perigosos para os bebes por correrem o risco de se enforcarem, esquecendo todo o resto, em portugal realmente não há habito nem se vê as crianças usarem com se verifica por exemplo na Suiça, França, Alemanha etc em que cada criança que nasce é quase "obrigatório usar" e muitas vezes são receitados pelos próprios pediatras. O que realmente se deve ter em conta é vigiar a criança se tem tendência a meter as pedras do colar na boca caso isso não se verifique não há que se preocupar até porque cada pedra é separada por um nó para não se deslocarem e os colares tem uma medida certa própria para as crianças para não ficar demasiado comprido nem demasiado apertado e assim evitar o risco de estrangulamento. Espero ter ajudado a esclarecer aos pais que necessitam e que estejam indecisos.

    ResponderEliminar
  25. Já aderi, comprei na Stone... aguardo resultados, pois por aqui tem-se sofrido um pouco e ainda com 6 meses.

    ResponderEliminar
  26. Olá Fernanda! Estou rendida ao colar de âmbar, assim que coloquei na minha Inês tem estado mt mais calminha e além disso já por 2 noites que nos dá umas santas noites! Bem haja e Obrigada pela dica. Comprei na Stone, 29,50€

    ResponderEliminar
  27. Qualquer dia um bebé com este colar dorme para sempre com asfixia e aí os pais poderão ter as suas noites tranquilas com o seu bebé morto. Acho que devemos dar "nome aos bois" , esse colar pode matar. Há tantas coisas para aliviar os dentes, além disso o que irão inventar esses pais quando os filhos não dormirem por outro motivo? Vão dar calmantes? Por amor de Deus, ser pai e mãe e acordar à noite, tantas quantas forem necessárias.

    ResponderEliminar
  28. Nunca tinha ouvido falar nestes colares e estou perplexa... Podem começar a agitar as forquilhas, mas é simplesmente a coisa mais ridícula que já ouvi nos últimos tempos: um colar para as dores. Que mudo é este?!... XD

    ResponderEliminar
  29. E se se usar o colar no tornozelo nao?? A mha filha usa uma pulseira no pezinho e nem s lembra q lá esta e não corre o risco de asfixia 😊

    ResponderEliminar